segunda-feira, 24 de julho de 2017

Coluna Ao Volante - por Zeca - Revisão Automotiva


VISITE O SITE CARPOINT NEWS: www.carpointnews.com.br 

Ao volante hoje aborda um assunto muito importante que é a Revisão Automotiva

Existem três tipos de revisão,

  • preventiva  -planejamento que antecede o surgimento dos problemas

  • corretiva -depois que algum equipamento automotivo ou peça do sistema veicular quebra, falha ou apresente avaria

  • preditiva -mais usada em frotas, através de equipamentos prevê a reparação ou troca do item antes de uma situação de risco se apresentar.

Aconselho sempre a lerem e respeitarem o que dita o manual do veículo;

Lembrando que além da revisão preservar seu patrimônio ela garante segurança aos ocupantes e previne gastos maiores futuramente além de valorizar seu veículo no caso de revenda.

Hoje vamos falar e dar dicas mecânicas, lembrando que na parte de comentários um dos melhores profissionais do ramo estará  respondendo suas dúvidas ,  para isso a coluna hoje entrevista Felipe Mendes, técnico em mecânica e eletrônica automotiva,  especialista em câmbios automatizados e proprietário da oficina Top Line Serviços Automotivos, há 10 anos atuando no ramo de motores, injeção e eletrônica embarcada, suspensão e ar condicionado  no Rio de Janeiro.

Felipe, percentualmente o que mais chega em sua oficina, revisão preventiva ou mecânica corretiva?


R: Felizmente hoje no Brasil, com o advindo da internet e Youtube, muitos estão se informando a respeito da importância da manutenção preventiva.

Hoje posso dizer que a maioria nos procura para fazer manutenção preventiva.


Quais os principais itens a serem verificados numa revisão preventiva e com quantos km aconselha que sejam feitas?

R: O que considero mais importante em uma revisão sempre é manter a segurança do veículo em primeiro lugar. Partes de suspensão, direção e freios devem ser inspecionadas periodicamente conforme manda o manual do proprietário.

 Nada substitui o manual, muitos não o veem, ele é essencial. Outros itens importantes em uma revisão são itens que visam manter a integridade do motor, como fluidos e filtros. Sempre lembrando da importância da troca das correias e tensionadores no prazo estipulado, pois esse item pode acarretar danos severos ao motor quando não substituído no prazo certo.

O que você considera uso normal e uso severo?

R: Uso normal ocorre quando o trajeto percorrido pelo proprietário do veículo é suficiente para que o motor atinja seu grau de funcionamento operacional. Entenda operacional quando falamos da temperatura em que cada motor trabalha (esta varia de cada tipo de motor) utilizando seu máximo de eficiência, consumo e menor geração de atrito em suas partes internas.

O uso severo é o total oposto disso. A utilização do veículo em pequenos percursos ou em lugares muito frios (lembrando aqui a importância do uso da válvula termostática, para que o motor atinja a sua temperatura operacional em um prazo mais curto), aonde o motor não chega a atingir a sua temperatura operacional antes de ser desligado.

Isso acarreta um desgaste mais acentuado do motor, alto consumo de combustível e emissão de poluentes, neste caso as trocas de fluidos devem ser antecipadas pela metade do tempo a qual o manual determina. Se o manual cita a troca de óleo e filtro a cada 10.000 km em uso severo essa troca deve ser realizada em 5.000 km 

Qual combustível é mais saudável ao uso para um carro flex?

R: Na minha opinião, como reparador automotivo e vivência no setor, aconselharia o uso permanente da gasolina como principal combustível.  É comum ver muitos veículos com os eletro-injetores entupidos e/ou danificados em virtude do uso exclusivo de álcool.

 Esse tipo de problema é diminuído drasticamente utilizando a gasolina.  Lembrando que, em nosso país, a gasolina além de ser de baixa qualidade, é misturada com álcool anidro em 25%, então ressalto aqui a importância de abastecer seu veículo em postos de confiança, utilizando uma gasolina de qualidade, para evitar possíveis danos ao motor do carro.

Lembrando que nos carros flex ao mudar o totalmente de álcool para gasolina ou vice versa o é ideal rodar em média 10km para o sistema reconhecer o novo combustível .

Existe ainda a sensação de um motor maior litragem ser mais durável que um de menor litragem? Isso é verdade?

R:  Na minha opinião isso nunca existiu de fato. Décadas atrás  motores  de menor litragem eram severamente mais exigidos a fim de se extrair certa potência, e por isso  tinham sua durabilidade diminuída e que não acontecia com motores de maior potência.

Neste caso, em minha opinião, atribuo a quebra desses veículos aos seus respectivos proprietários, poi não eram respeitados certos "limites" do motor.

 Hoje em dia, com a eletrônica e as novas normas de emissão de poluentes e consumo de combustível (PROMOT) a tendência são os carros estilo "downsizing", onde a cilindrada é reduzidas, porém com a adição de alguns complementos que podem suprir esta redução.

 A turbina e a injeção direta de combustível e peças em alumínio são componentes que posso citar como exemplo. Motores "downsizing" hoje são tão potentes e duráveis quanto motores de alta cilindrada, sendo até mais eficientes limpos e inteligentes, a engenharia construtiva evoluiu poupando o meio ambiente e o bolso do consumidor no que tange a consumo de combustível.


Qual item que possa citar que hoje é responsável por maior defeito nos veículos?

R: Esta é uma pergunta complexa, pois cada veículo tem alguma deficiência em algum ponto que podem gerar quebras prematuras e prejuízos ao dono.

 Se fosse para resumir algo em comum que atinja a todos os motores, citaria a gasolina adulterada, que sempre deram um grande prejuízo aos proprietários, entupindo eletroinjetores, danificando bombas, tubulações e até mesmo o cabeçote do motor.

É possível afirmar que veículos das montadoras nipônicas visitam menos as oficinas?

R: Essa pergunta é bem polêmica, mas em minha opinião, sim! Carros japoneses costumam ter seus componentes de muita qualidade, que evitam quebras precoces.

 Além disso essas montadoras são conhecidas por facilidade na manutenção.  São carros fáceis de serem reparados onde não existem grandes surpresas e dificuldades.

 Todavia, não podemos esquecer que apesar de serem robustos e confiáveis, continuam sendo máquinas que exigem manutenção preventiva, e em certos casos, corretiva.

Hoje que tipo de ferramenta não pode faltar em uma oficina?

R: Com certeza o scanner.  Este hoje em dia é tão essencial quanto uma caixa de ferramentas.

Sem ele, você não consegue ler parâmetros de funcionamento e códigos de falhas (DTC´s) que ficam registrados na memória da central eletrônica do veículo, tornando o diagnóstico impreciso, demorado e em certas ocasiões, impossível de ser executado.

O modo de condução e o ambiente estão diretamente ligados ao desgaste do veiculo?

R: Com a mais absoluta certeza, sim. O modo de condução, respeitando os limites do motor, suspensão e freios, fazem com certeza seu veículo ter uma maior longevidade.

Outros fatores que contribuem com desgastes ficam a encargo do ambiente em que se encontra o veículo. Locais litorâneos, onde se encontram uma grande quantidade de maresia, umidade, afetam certos componentes e fluidos.

E se falando em umidade cito o óleo de freio que deve ser verificado /trocado a cada dois anos pois este se contamina por água devido a umidade e isso prejudica muito a eficiência do sistema.

Outros locais como por exemplo estradas não pavimentadas,com grande presença de materiais ferrosos , comprometerão a suspensão.  neste caso os filtros sofrem mais e as correias e as peças de borracha ressecam com maior facilidade.

 Locais onde o carro fica estacionado sem a cobertura adequada irá agredir a pintura, faróis e demais componentes plásticos do painel do veículo. Esses são somente alguns exemplos de como o ambiente também é responsável por agredir seu veículo. Se você mora em uma região supra citadas maior deve ser sua atenção no quesito manutenção.


Qual tipo de câmbio dá menos problemas, ou isso não existe?

R: Diria que isso é muito relativo. Câmbios manuais costumam durar mais, pois são os câmbios em que menos se exige manutenção preventiva.

Lembrando que muitos proprietários são zelosos com o motor do veículo, mas esquecem que a caixa de marchas também é um componente que exige manutenção preventiva e que também é onerosa a reparação quando existe uma quebra.

Ocorrem em outros casos que não posso deixar de citar, em que saíram de fábrica algumas caixas de transmissão com problemas na durabilidade. Podemos citar aqui o câmbio powershift da ford.

Outros câmbios, como os automatizados dualogic da fiat, e o i-motion da volkswagen, apresentam certos desgastes na embreagem que os proprietários costumam achar precoce, e o alto preço das peças contribuem para que eles sejam mal falados no mercado.

Quais os principais conselhos que você pode dar para a correta manutenção do seu veículo?

R: O principal conselho que eu, e acredito que 99% dos reparadores automotivos dariam, é seguir fielmente o prazo de troca das peças seguindo o manual do proprietário.

Nunca utilizar óleo fora da especificação do manual e de baixa qualidade e/ou de viscosidade que não atendam às características do seu motor, e nunca utilizar peças de qualidade duvidosa, mesmo que o preço destas sejam mais atraentes.

Lembrando que uma peça de má qualidade em determinados casos podem ocasionar danos em outros componentes do veículo, aumentando ainda mais o seu prejuízo.  Por tanto, deem preferência para marcas de renome no mercado, ou de peças originais fornecidas pelas montadoras.

Saiba mais em: ww.toplineoficina.com.br / youtube.com/toplineoficina / facebook.com/ToplineCentroAutomotivo/

ZECA - Carioca da gema, casado e nascido em 70. Uma filha quase jornalista e apaixonado por automóveis,  tecnologia e pelos anos 80.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do CarPOint News

2 comentários:

  1. Excelente matéria! Já estive na oficina do Felipe e pude comprovar o quão serio é o trabalho deles. Recomendo a qualquer um do Rio de Janeiro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amigo achei honesto o trabalho deste profissional já fui muito lesado por maus mecânicos sou morador do Rio de janeiro e gostaria do endereço ou telefone comercial dele

      Excluir

Comente, opine.